"VOCÊ NÃO QUER VER, NÃO QUER ESCUTAR E MUITO MENOS FALAR"
Pesquise no blog:
Insira uma palavra-chave:
«Se VOTAR mudasse alguma coisa, o VOTO já teria sido banido.»
Emma Goldman

domingo, 4 de maio de 2008

Caso Isabella Nardoni: Mída sensacionalista e perícia: Prós e contras.

Todos sabemos, e como sabemos, que uma garota de cinco anos foi atirada da janela do sexto andar, em uma noite em São Paulo. Sabemos que ela se chama Isabella Nardoni, e que o pai Alexandre Nardoni e a madrasta Ana Carolina Jatoba são os principais suspeitos.


Crueldade, sim, fazer isso com uma garota de apenas cinco anos, sem proteção alguma. Mesmo com milhares de motivos para alguém ficar nervoso com a criança, nada justifica este erro, grave. Um erro não justifica o outro. Que a justiça seja feita!
Mas o que estou imprensionado é com o enorme sensacionalismo da mídia. Várias mortes estão acontecendo no país, se não de motivos parecidos, são de fome, assassinatos, etc. O caso João Hélio, que foi arrastado por 7km (se não me falha a memória), para o meu pensamento, foi mais cruel e covarde da parte do assassinato, e a mída não cresceu tanto quanto esse caso.


Acho ridículo este sensacionalismo, a mídia só pode estar (ganhando) querendo ganhar dinheiro sobre o óbito da pessoa, e isso não é justo, nem para a familia da criança, nem para com o respeito com a morte cruel da mesma.


Mas temos um pró nesse esquema da mídia: A atuação forte sobre a investigação do caso. Ela está sobre tudo que se passa, querendo ou não, fazendo pressão sobre a polícia, perícia, isso é benéfico para a justiça ser feita o mais rápido possível.
Na parte da investigação, tenho uma coisa apenas a dizer: Formidável.


Tenho a imprensão de nunca (necessito de mais fontes) ter visto uma investigação acerca de um crime tão bem estruturado e raciocinado como este. Foi do estilo FBI. Podemos dizer que a mídia ajudou esse caso nesse ponto: O incentivo a busca da verdade, da justiça.


Então, agora que deram esse belo exemplo que mídia, andando junto com perícia (se me permitem essa metáfora para me expressar), ou mesmo somente a nossa perícia nos fornece uma investigação tão bem estruturada, por que não o fazem com os escândalos no nosso Governo?

Alguém poderia me explicar?

Será que a mídia não quer exercer essa repercução toda com os escândalos como, Cartões Corporativos?


Finalizo meu pensamento sobre mídia e perícia brasileira.



Bud

2 comentários:

Ernesto Gelain disse...

Eu pensei bastante sobre isto, assim como você.

Eu acho que o agravante de ser um infanticídio praticado pelos próprios pais foi o que mais chamou a atenção.

Não tem nada demais em arrastar o filho dos outros pelas ruas da cidade até o moleque morrer.

O foda é se for seu próprio filho.

Além disto, acho que todo mundo já engoliu com farinha os problemas políticos do país.

E as informações seguem a lei da oferta e da procura.

Eu acho que em pouco tempo acontecerá uma inevitável anarquização dos veículos de comunicação.

Quando isto acontecer, pessoas que se importam, como você, serão importantes.

Parabéns pelo blog.

Não é crítica nem nada, mas o que você tem para dizer é sempre muito mais interessante que as letras de músicas copiadas.

Não pense que não está sendo lido.

Estão observando você.

Muitas pessoas.

Sempre.

Não dá pra fugir disto hoje em dia.

Paule disse...

Obrigado pelos parabéns.

Sobre a letra da música, é uma das que eu mais acho de atitude do grupo Facção Central, logo achei legal postar aqui.
Que estou sendo observado, bom, pelo menos sabe que sou eu, mas não sabem quem eu sou.